Saúde emocional do adolescente.

28 de outubro de 2021
                                                                                               Clarissa Oliveira Macedo Acerbi*

A adolescência é uma fase de vida marcada por transformações físicas, emocionais e psicossociais, e compreende o período entre 10 e 20 anos.
Muitas transformações corporais ocorrem rapidamente e exigem do jovem uma rápida adaptação a um novo esquema corporal e ao despertar da sexualidade.
Os adolescentes vivenciam sentimentos contraditórios em relação aos pais ou responsáveis, oscilando entre sentimentos de dependência e desejo de autonomia.
O jovem precisa aceitar as mudanças e entender essa transição entre a infância e a vida adulta - que é a adolescência- como uma fase de vida muito importante, que pode trazer tanto boas quanto más experiências, alegrias e tristezas e muito crescimento e aprendizado.
Há uma necessidade de se identificar com outras pessoas, como grupo de amigos, professores e pessoas famosas, pela necessidade de construção de sua identidade.

Também sentem a necessidade de pertencerem a um grupo ou uma “tribo”, para se sentirem melhor compreendidos e amparados pelos amigos, com quem partilham interesses, estilos e práticas sociais, além de dificuldade e inseguranças parecidas.
O jovem deve saber que pressões sociais nos grupos de iguais, ou de rivais, podem gerar situações de conflito, normalmente relacionadas aos padrões estéticos de beleza, de gênero e intolerância às diferenças, como a não aceitação da homoafetividade, por exemplo.

Estes conflitos podem acarretar muito sofrimento e ansiedade nos adolescentes, que podem estar passando também por outras frustrações que envolvam situações de violência em casa, bullying/ cyberbullying, sentimentos de abandono, entre outros problemas sociais e econômicos (desemprego de familiar, situações de pobreza, uso e abuso de substâncias quimicas. etc).
Devido ao “efeito de contágio”, que implica na imitação do comportamento do outro para se sentir incluído e aceito no grupo, alguns adolescentes podem adotar comportamentos negativos consigo mesmos, colocando-se em situação de risco (autolesão, se aventurarem em situações de perigo, fazer uso e abuso de substâncias químicas, etc).  Ex: Filme: “Nerve: Um jogo sem regras”(2016).
Ao compreenderem que não são os únicos a terem dificuldades, podem se sentir mais tranquilos e seguros, e assim, encontrarem formas mais positivas de socialização, expressão de sentimentos e regulação das próprias emoções, descarregando, por exemplo, suas tensões na prática de esportes ou em atividades artísticas.
 
Existem também alguns importantes fatores de proteção, que podem auxiliar o adolescente a atravessar essa fase linda e complexa, que é a adolescência.
 
1- Autoestima elevada.
2- Bons laços sociais com família e amigos.
3- Religiosidade e razão de viver
4- Capacidade de adaptação positiva/ resiliência
5- Capacidade de resolução de problemas
6- Acesso a serviços de cuidados de saúde mental
 
*Clarissa Oliveira Macedo Acerbi é psicóloga. CRP 04/12896.


 
 
 
 
 
 
Veja mais artigos sobre Saúde Veja mais
Copyright ©2021 - Revista Infâncias
Design by: